A acne é um tormento na vida das púberes e adolescentes e muitos dermatologistas prescrevem tratamentos à base de compostos de progesterona e estrogênios, mas esse procedimento pode levar a alguns danos orgânicos e causar algumas seqüelas no desenvolvimento puberal de menina, especialmente pela soldura prematura das epífises, culminando com redução da estatura, fenômeno que pode acontecer com quaisquer tratamentos hormonais.

O uso de uma pequena dose de pílula anticoncepcional contendo drospirenona e etinilestradiol pode beneficiar mulheres com acne moderada, segundo estudo publicado em Obstetrics and Gynecology.

De acordo com os autores, isso ocorre porque a drospirenona é uma substância antiandrogênio – hormônio cuja produção em excesso pode contribuir para surgimento de acnes; e o etinilestradiol desencadeia a produção de um composto que se liga aos hormônios sexuais.

Avaliando 536 mulheres com idades entre 14 e 45 anos que apresentavam acne facial, os pesquisadores notaram que, entre aquelas que passaram a ser tratadas com o contraceptivo oral, houve uma redução de 46% no número de lesões, contra apenas 31% no grupo que tomava placebo.

Elas também eram três vezes mais propensas a serem classificadas com pele “limpa” ou “quase limpa”.

De acordo com os especialistas, o tratamento já é aprovado pela FDA, órgão que controla medicamentos nos EUA.

Outra droga muito utilizada por dermatologistas é a tretinoina, um quimioterápico indicado no tratamento de alguns tipos de cânceres, mas que por ser extremamente tóxico, produz resultados devastadores sobre o organismo das meninas.

Saiba mais sobre a Tretinoína aqui

[Voltar]

Categoria: Ginecologia