Citologia dos aspirados endometriais
15 de fevereiro de 2009 | Autor:

As dificuldades no diagnostico de lesões endometriais através de células presentes no material cervicovaginal têm sido ilustradas. Espera-se que o resultado seja mais seguro com material bem preservado, aspirado diretamente da cavidade uterina. Excelentes resultados têm sido obtidos por alguns (Morse et al., 1982; Skaarland, 1986), mas a interpretação é ainda difícil e além da perícia citológica, destreza considerável é necessária na coleta do aspirado.

Vários métodos foram introduzidos, mas estes são todos baseados na aspiração direta através de uma cânula, Cavando sob pressão negativa e raspando o endométrio com uma escova ou microcureta. Em alguns estudos são descritas combinações destes métodos. O material pode ser preparado como esfregaço direto em filtros miliporos ou por cortes de blocos celulares. Alguns autores aconselham o uso de mais de um método de preparação. Nesta secção, as imagens 304 e 311 foram fotografadas com cordial permissão de Elsa Skaarland, de seu próprio material. Este foi coletado usando o instrumental Gynoscann (chamado Endoscan antes de 1983). Foram feitos esfregaços diretos e fixadores usando um aerossol fixador e a coloração foi pelo método de Papanicolaou. As legendas seguem o critério diagnóstico de Skaarland e foram checadas por ela. Avaliação do esfregaço depende de um estudo da arquitetura dos fragmentos de tecidos maiores e da morfologia das células que se apresentam isoladamente ou em pequenos fragmentos de grupos. A aparência do fundo é também levada em consideração.

304 Endométrio normal. Este campo mostra um grande fragmento de tecido que consiste em estruturas glandulares rodeadas por estroma. Notar a uniformidade regular dos constituintes celulares. (x 40)

305 Endométrio normal. Este campo mostra, com capilares correndo através dele, um fragmento superposto. (x 40)

306 Endométrio normal. Este exemplo mostra a superfície com abertura de uma glândula. (x 40)

Em 304 e 306 o fundo não apresenta nenhuma evidência de necrose.

307 Hiperplasia adenomatosa. Este fragmento consiste de estruturas glandulares compactadas sem estroma. O fundo consiste de sangue somente. (x 25)

308 Adenocarcinoma do endométrio. Este campo de pequeno aumento compara um fragmento de endométrio normal (o qual consiste da superfície do epitélio e estroma, com parte da abertura de uma glândula) com uma lâmina de células malignas maiores mostrando uma perda do padrão regular de crescimento. (x 40)

309 Adenocarcinoma do endométrio. Em aumento maior a morfologia celular pode ser estudada. Há algum pleomorfismo, o padrão de cromatina nuclear é grosseiro e irregular e são vistos núcleos proeminentes. (x 160)

310 Adenocarcinoma do endométrio. Em outro lugar do mesmo esfregaço um grupo frouxo células malignas pleomórfica desagregadas é visto. Algumas células parecem arredondadas (ver 288) e maioria tem nucléolos proeminentes e grandes. Notar que células normais também estão presentes: em alguns casos de adenocarcinoma estas podem dominar o quadro celular. (x 160)

311 Adenocarcinoma do endométrio. Este campo é característico, pois apresenta uma colônia de células com um centro vascular que é parte do tecido conjuntivo suporte comum. (x 160)

[Voltar]

Categoria: HP