Cervicite folicular
11 de fevereiro de 2009 | Autor:

Esta é uma reação linfocitária a qual é usualmente vista na profundidade do epitélio cervical, mas tem sido encontrada no fundo do epitélio vaginal. A coleção de linfócitos apresenta folículos normais com linfócitos maduros na periferia e formas imaturas no centro. A condição é mais comum nas mulheres pós-menopáusicas, mas também é vista como reação da infecção de Chlamydia (66). Nesses casos a cérvix é granular no exame colposcópico.

100. Cervicite folicular. O quadro citológico visto neste campo é característico, com uma placa de pequenas células hipercromática, estas tendo uma relação núcleo-citoplasma muito alta. Nestes casos, as células presentes são principalmente linfócitos maduros, mas quando há uma predominância de células imaturas, isto pode causar suspeita de linfoma. (X 62)

101. Cervicite folicular. Em grande aumento, um outro campo do mesmo caso mostra formas imaturas. (X 250)

102. Cervicite folicular: biópsia colposcópica. No exame colposcópico uma área de granularidade vascular foi vista na cérvix e esta foi biopsiada. A secção mostra tecido traumatizado, mas permanece um folículo linfóide na profundidade em vermelho, a superfície epitelial necrosada pode ser reconhecida. (H&E, X 62)

103. Cervicite folicular: biópsia colposcópica. Este campo mostra o centro do folículo no mesmo aumento como a da lâmina 101, o que permite comparação das células (H&E, X 250)

[Voltar]

Categoria: Citologia